(Português) NOVA NORMA CETESB SOBRE LOGÍSTICA REVERSA ENTRA EM VIGOR EM DUAS SEMANAS

12 . November . 2019 |

Sorry, this entry is only available in Brazilian Portuguese. For the sake of viewer convenience, the content is shown below in the alternative language. You may click the link to switch the active language.

Em 24.11.2019, passa a valer a Decisão de Diretoria (DD) CETESB nº 114/2019/P/C, publicada em 25.10.2019 e republicada em 30.10.2019, a qual substituiu a DD CETESB nº 76/2018, atualizando os procedimentos para a incorporação da Logística Reversa no âmbito do licenciamento ambiental no Estado de São Paulo.

Vale lembrar que estão sujeitos à Logística Reversa os resíduos de produtos e embalagens pós-consumo de significativo impacto ambiental, relacionados no artigo 2º, parágrafo único, da Resolução SMA 45/2015 ou em legislação específica – isto é, óleo lubrificante, embalagens de óleo lubrificante, filtros de óleo, pilhas e baterias, lâmpadas fluorescentes, pneus, óleo comestível, eletroeletrônicos de uso doméstico, medicamentos domiciliares, embalagens de agrotóxicos, produtos alimentícios, bebidas, higiene, perfumaria, cosméticos, limpeza e tintas imobiliárias. Tais resíduos são aqueles gerados pelo consumidor final, assim definido como o que adquire o produto para consumo próprio e não para processo produtivo, prestação de serviço ou recolocação no mercado.

Para os fabricantes, importadores, distribuidores e comerciantes de tais produtos e embalagens, a implantação da Logística Reversa vincula o licenciamento ambiental ordinário da CETESB. Quando da solicitação ou renovação da licença de operação, o empreendedor deverá comprovar a operação e resultados do sistema, por meio da apresentação de Plano de Logística Reversa (PLR) e Relatório Anual de Resultados, de acordo com linhas de corte e metas específicas, que variam conforme os tipos de resíduos e o porte dos empreendimentos.

A exigibilidade da norma continua sendo gradativa/sucessiva, sendo que para empreendimentos com área construída acima de 10mil m², a apresentação é obrigatória desde 2018; para empreendimentos com área construída acima de 1 mil m², a apresentação será obrigatória a partir de 1º.1.2020; e para os demais empreendimentos sujeitos ao licenciamento ordinário, a apresentação será obrigatória a partir de 1º.1.2021.

A nova DD também traz alguns pontos adicionais, a exemplo de esclarecimentos sobre fabricantes que não são os detentores das marcas dos produtos e fabricantes de veículos automotores.

Para o seu texto da norma na íntegra, acesse este link.

 

Para mais informações, entre em contato com nosso time Ambiental:

Renata Castanho

renata.castanho@localhost

Amália Botter Fabbri

amalia.botter@localhost

Carina Cancela

carina.cancela@localhost


see all publications