(Português) Trabalho à distância por Empregados: Guia sobre os aspectos jurídicos do Teletrabalho

16 . March . 2020 |

Sorry, this entry is only available in Brazilian Portuguese. For the sake of viewer convenience, the content is shown below in the alternative language. You may click the link to switch the active language.

Os tempos atuais mostram que o trabalho em regime remoto (teletrabalho) supera a importância do trabalho em regime presencial ou mesmo em regime externo. No final de 2017, quase que antevendo as necessidades que viriam nos anos seguintes, como o atual enfrentamento à pandemia do COVID-19, o novo coronavírus, o Brasil aprovou um capítulo inteiro para regulamentar o trabalho à distância na Consolidação das Leis do Trabalho (CLT) pela chamada Reforma Trabalhista.

Mas a lei, claro, não resolve tudo. Cada empregador tem atividades e rotinas específicas, o que exige que bons regulamentos internos ou políticas sejam desenvolvidas para conter regras mínimas a serem observadas pelos empregados. No caso do trabalho remoto, o empregador, portanto, deve se antecipar e ir além de esperar o “bom senso” das partes, desempenhando por escrito o que a CLT diz ser seus principais papéis: assumir o risco da atividade econômica e dirigir a prestação pessoal de serviços.

Nesse contexto, apresentamos um guia contemplando os aspectos legais do teletrabalho e pontos práticos que podem ajudar os empregadores na estruturação de seus contratos, termos e políticas. Este guia não tem a pretensão de esgotar o tema e, de forma alguma, dispensa a análise técnica dos casos em concreto por profissionais jurídicos, de recursos humanos, finanças, tecnologia da informação (TI) e segurança e medicina do trabalho, entre outros.

Clique aqui para acessar o Guia.

Para mais informações, entre em contato:

Fabio Medeiros
fabio.medeiros@localhost

André Blotta Laza
andre.laza@localhost

Marina Camargo Aranha
marina.aranha@localhost

Gustavo Gomes Basilio
gustavo.basilio@localhost


see all publications